Você já ouviu falar em agrofloresta? E em agricultura sintrópica?


Por Beatriz Paes e Luiza Morrone / Intercâmbio

Seria possível existir um sistema agrícola que unisse técnicas de plantio ao melhoramento de solo, conservação da biodiversidade e controle de pragas? Apesar de parecer distante, esta é uma realidade promissora que vem ganhando espaço entre muitos agricultores. A esse modelo dá-se o nome de sistema agroflorestal

O sistema agroflorestal, também conhecido como SAF, é definido como o conjunto de técnicas sustentáveis que atrelam o cultivo de espécies arbóreas ao modelo agrícola. A agrofloresta possui como objetivo mimetizar o ambiente e funcionamento florestal natural para assim poder realizar o cultivo agrícola, além de promover a recuperação de espaços degradados.

Como alternativa ao sistema de plantio tradicional de monoculturas, a agrofloresta é baseada na sucessão ecológica e utiliza-se essencialmente da policultura. Esse modelo traz inúmeras vantagens, pois promove o aumento da biodiversidade local, redução do desmatamento, melhoramento de solo, segurança alimentar, controle de pragas e até mesmo o sequestro de carbono.

Sabe-se que o processo tradicional de agricultura é de grande impacto ao meio ambiente, como o uso excessivo de agrotóxicos, o desmatamento, queimadas, e o modelo agroflorestal surge como uma alternativa de desenvolvimento sustentável a partir da adubação natural, livre de agrotóxicos, e que as pragas surgem justamente pela retirada dessa mata. Uma outra vantagem no modelo é que em um pequeno espaço, o agricultor pode combinar e produzir diversos tipos de alimentos.

Vantagens:

  • Melhoramento de solo;
  • Conservação da biodiversidade;
  • Redução de queimadas e desmatamento;
  • Sequestro de carbono;
  • Segurança alimentar;
  • Controle de pragas.
  • Sem agrotóxicos (veneno)
Ao se implantar um SAF é importante que haja escolha das espécies adequadamente para a região; combinar corretamente essas espécies; trabalhar com densidade adequada e implantar todas as espécies juntas para que haja uma complementação no ambiente de forma que se uma população for afetada não gere um vazio no sistema.

Para verificar a sustentabilidade dos SAF’s são usados alguns indicadores, como:

Indicadores Ambientais

  • Solo: presença de erosão, espessura da camada de matéria orgânica, drenagem, compactação, presença de excrementos de minhocas, vida no solo, manejo de ervas daninhas, plantas indicadoras de fertilidade;
  • Água: evidência de assoreamento, presença de mata ciliar;
  • Biodiversidade: número de espécies introduzidas inicialmente em relação ao número atual, regeneração natural, presença de fauna;
  • Fogo: redução de problemas com fogo; observação se o SAF já foi queimado; práticas para prevenir fogo, práticas para não precisar usar fogo na agricultura;
  • Espécies presentes e número de indivíduos de cada espécie; 
  • Presença de pragas, doenças e sintomas de desnutrição; 
  • Origem das sementes/mudas; 
  • Opinião do agricultor em relação ao desenvolvimento das espécies.

Indicadores Econômicos

  • Importância econômica do SAF em relação às outras atividades da propriedade;
  • Trabalho investido comparado as outras atividades;
  • Não realização de compra algum produto por causa do SAF;
  • Em que cultura apostam mais; 
  • Mudança no hábito alimentar; 
  • Escoamento da produção; 
  • Comercialização: quanto produz, quem compra, a quanto vende; 
  • Qual cultura dá maior lucro; 
  • Beneficiamento da produção.

Curiosidades:

  • Os SAF possuem relevância na renda bruta e podem ser o subsistema principal de unidades familiares inovadoras,
  • Cerca de ¼ de produtores dependem exclusivamente de SAF para sua renda bruta.
  • Agroflorestas são consideradas uma estratégia complementar para a segurança alimentar nas unidades onde são adotados, fornecendo uma variada dieta e rica ao longo do ano, além de que podem substituir fontes mais comuns de proteína e energia, como os grãos e a carne.
  • Agrossilvicultura o conjunto de técnicas de uso da terra que implique na combinação de árvores florestais com cultivos, com pecuária ou com ambos.

Agricultura Sintrópica

Outro conceito muito importante dentro do sistema agroflorestal é o a agricultura sintrópica, criada pelo estudioso Ernst Götsch. A sintropia, em sua semântica, significa a organização ou equilíbrio de determinado sistema. A agricultura sintrópica relaciona o plantio agrícola à recuperação de áreas degradadas e baseia-se em princípios fundamentais que são essenciais para o sucesso agroflorestal. De acordo com Ernst, são esses princípios que orquestrarão o funcionamento da floresta a partir do balanço energético positivo ecológico.


 LEIA MAIS  Gostou de saber das vantagens da Agrofloresta? Saiba também as principais curiosidades sobre o Agroecologia e também outros documentos:

Oliveira, L. et al. Agrofloresta e seus benefícios salientando as vantagens ambientais. Instituto brasileiro de estudos ambientais, 2018. Acesso

Pasin, F. S. A Agricultura Sintrópica de Ernst Götsch: história, fundamentos e seu nicho no universo da Agricultura Sustentável. Programa de pós- graduação em ciências ambientais e conservação da UFRJ. Dezembro, 2017. Acesso

Peneireiro, F. M. et al. Introdução aos Sistemas Agroflorestais: Um Guia Técnico. Desenvolvida pelo Projeto Arboreto, Parque Zoobotânico e Universidade Federal do Acre. Acesso

Vivian, J. L. O papel dos sistemas agroflorestais para usos sustentáveis da terra e políticas públicas relacionadas Parte I, Relatório Síntese e Estudos de Caso. Brasília, DF: Estudos PDA, n. 1, Dez. 2010. Acesso

Claudio, C. J. Conceitos de agroflorestal. IPOEMA: Instituto de Pemancultura. Acesso

Götsch, E. et al. Agenda Gostsch. Acesso

Comentários

Mais vistas