Agrofloresta - Controle Biológico



Dentro do tema Agrofloresta, participamos da Semana da Biologia 2018 da Faculdade Anhanguera de Brasília, evento realizado durante o mês de setembro, com a palestra sobre Controle Biológico. Esse é um assunto muito atual e que envolve saúde pública, meio ambiente e alternativas para métodos de produção mais sustentáveis. 

O Controle Biológico pode ser descrito como um método alternativo não químico, utilizado para reduzir doenças no cultivo agrícola por meio de agentes naturais. Um trabalho que pode se manisfestar através do uso de uma vespa, por exemplo. O uso da técnica apresenta muitas vantagens como a não produção de resíduos tóxicos, por ser biodegradável. É também uma área do mercado que tem muito a ser descoberto, dada a alta biodiversidade brasileira que existe, sobretudo de insetos, ainda pouco conhecidos. Mas os agentes biológicos vão além dos insetos, sendo usados também fungos e extratos vegetais como produtos biológicos, por exemplo.  

O papel dos profissionais de Biologia
Esse é um assunto multidisciplinar, que tem grandes oportunidades para atuação de profissionais da Ciências Biológicas. Por envolver o entendimento da recursos biológicos, os biólogos podem contribuir diretamente, seja nos estudos básicos, na parte de registro e regulamentação, em treinamentos, na educação ambiental, no armazenamento e na aplicação dos produtos. Cada vez mais a disponibilidade de produtos mais saudáveis, menos poluentes e com eficiência agrícola, traz a necessidade da participação de Biólogos, numa contribuição importante para a sociedade.  

A atuação de biólogos está prevista nas áreas definidas pelo Conselho de Biologia, dentro da grande área 'Meio Ambiente e Biodiversidade' no 'Controle de Vetores e Pragas' e também na grande área 'Saúde' em 'Saúde Pública / Vigilância Sanitária'. Dessa forma, a visão ampla desses profissionais pode trazer importantes colaborações para o Controle Biológico e suas aplicações.   

Menos Agrotóxicos
Levantamento da Fundação Oswaldo Cruz aponta que cada brasileiro consome, em média, 7 litros desse veneno por ano. Como alternativa a esse problema, está no Congresso Nacional o Projeto de Lei 6670/2016 que institui a Política Nacional de Redução de Agrotóxicos (PNaRA). Com a ajuda e participação de todos, a PNaRA pode se tornar Lei, garantindo a redução dos agrotóxicos no Brasil, mais saúde para a população e um ambiente sadio para se produzir comida de qualidade.

Além disto, sua assinatura também irá ajudar a barrar o Projeto de Lei (PL) 6299/2002, o “Pacote do Veneno”. Ao liberar ainda mais o uso de agrotóxicos no país, o Pacote do Veneno vai contra a vontade da sociedade brasileira – segundo pesquisa, 81% dos brasileiros considera que a quantidade de agrotóxicos aplicada nas lavouras é “alta” ou “muito alta”. Participe em www.chegadeagrotoxicos.org.br       



Comentários

Mais postagens