Conheça mais as fitofisionomias do Cerrado

Por Nathália Araújo

O Cerrado está entre os maiores biomas da América do Sul. É considerado um dos hotspots mundiais, a savana com a flora mais biodiversa do mundo. Atualmente, só existe aproximadamente 8% da região protegida por lei e sofre grande perda de habitat. Com notável alternância em sua vegetação, o Cerrado é dono de um mosaico vegetacional de fitofisionomias importantes também para a distribuição das espécies animais que vivem aqui.
A vegetação do Cerrado possui 11 fisionomias (formas) principais e são compostas por: Formações savânicas (Cerrado sentido restrito, Parque de Cerrado, Palmeiral e Vereda); florestais (Mata de galeria, Mata Ciliar, Mata Seca e Cerradão); e campestres (Campo sujo, Campo Limpo e Campo Rupestre). Vale ressaltar que a profundidade e a fertilidade do solo, bem como, os fatores edáficos podem influenciar nas formas fisionômicas. Com os subtipos dessas formações formam-se 25 fitofisionomias.

Cerrado ralo seguido por Mata de Galeria 

Nas formações florestais há um predomínio de espécies arbóreas que formam dossel. A Mata Ciliar é caracterizada por estar associada a curso de água de médio e grande porte, com isso, as copas das árvores não se encontram, pois, às margens variam de acordo com o tamanho do leito do rio. Já a Mata de Galeria acompanha córregos e rios menores. Na Mata Seca e no Cerradão não há associação com cursos de água. O Cerradão também é conhecido por suas peculiaridades xeromórficas, ou seja, é resistente a seca. Com isso, possui as mesmas espécies ocorrentes no Cerrado Sentido Restrito, caracterizando uma mata rala. A Mata de Galeria dispõe de dois subtipos: Inundável e não-Inundável e a Mata Seca possui três subtipos: Semidecídua, Decídua e Sempre-Verde. Nos três subtipos de Mata Seca, há quedas de folhas, o que contribui para o aumento de matéria orgânica acumulada no solo.

Cerrado Típico

As formações savânicas compreendem principalmente quatro tipos de fitofisionomias. O Parque de Cerrado, o Palmeiral, o Cerrado sentido restrito e a Vereda. O Palmeiral ocorrente tanto em solo bem drenado como mal drenado (brejosos), caracteriza-se pela presença de palmeira arbórea e árvores. Essa fitofisionomia possui quatro subtipos: Babaçual com predomínio do babaçu (Attalea speciosa), Buritizal com presença de buriti (Mauritia flexuosa), Guerobal onde encontra-se a guariroba ou gueroba (Syagrus oleracea) e Macaubal onde há predomínio de macaúba (Acrocomia aculeata). O que difere da Vereda que ocorre geralmente em campos úmidos e há o predomínio de uma única espécie de palmeira, o buriti (Mauritia flexuosa) e espécies arbustivo-herbáceas. No Cerrado sentido restrito há o predomínio de espécies do estrato arbóreo e arbustivo-herbáceo. São pequenas árvores tortuosas e retorcidas, em geral, com evidência de passagem de fogo. Não há formação de dossel contínuo, as árvores são distribuídas de forma aleatória no campo. Conforme a estrutura das espécies do estrato arbóreo-arbustivo ainda é possível dividi-lo em quatro subtipos: Cerrado Denso, Cerrado Típico, Cerrado Ralo e Cerrado Rupestre. Desses quatros subtipos, o Cerrado Denso é o que predomina com espécies arbóreas e pode chegar a 70% de cobertura vegetal. Nas fisionomias Cerrado Típico, Ralo e Rupestre a vegetação predominante é arbóreo-arbustivo e a cobertura arbórea pode variar até 50%, 20% e 20% respectivamente. No Parque de Cerrado as árvores ficam concentradas em espaços específicos, em áreas com uma delicada elevação do terreno. Algumas espécies se apresentam sutilmente e outras em destaque, para estas, damos o nome de murundus.

Campo com Cerrado Sujo

Por fim e não menos importante, temos as formações campestres com três tipos de fitofisionomias: o Campo Sujo, Campo Limpo e Campo Rupestre. Como o próprio nome diz no Campo Sujo há um predomínio de arbustos e subarbustos preenchidos de espécies do estrato herbáceo. O que difere do Campo Limpo onde essas espécies são escassas. Já no Campo Rupestre há uma pequena mistura da vegetação do Campo Limpo e Campo Sujo e a presença de rochas. Pelas características do solo e terreno plano, o Campo Sujo e o Campo Limpo podem apresentar três subtipos cada. São eles: Campo Sujo Seco onde o lençol freático é profundo, Campo Sujo Úmido tendo o lençol freático alto e Campo Sujo com Murundus ocorrendo micro relevos. Para essas fisionomias há presença marcante de espécies da família Poaceae (gramíneas).

 LEIA MAIS  Gostou de saber das fitofisionomias do Cerrado? Saiba também as principais curiosidades sobre esse biomaFotografias: Rodrigo Viana / Acervo Instituto Jurumi

Comentários

Mais vistas