Desmatamento – quais as principais causas?

Por Amanda Costa

Muito tem se falado no Brasil sobre os números que atestam o aumento do desmatamento na Amazônia. Da mesma forma, importantes ecossistemas brasileiros já tiveram seus territórios vastamente diminuídos, como a Mata Atlântica.

As consequências do desmatamento são várias e diversas: perda de biodiversidade, da oferta de recursos naturais, prejuízos para o aquecimento global e mudanças climáticas, entre outros.

Segundos dados mais recentes, registrados pelo Sistema de Detecção de Desmatamentos em Tempo Real (Deter), apoiado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), este ano o desmatamento na Amazônia aumentou em 67% se comparado com o mesmo período do ano passado (janeiro a julho). Da Mata Atlântica, um dos biomas mais devastados do país, restam apenas cerca de 12% de sua área original.


Dentre as principais causas do desmatamento no Brasil estão a:
- Pecuária: a criação de gado em larga escala é um dos principais motivadores do desmatamento. Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), no Brasil, mais de 80% do desmatamento está ligado a transformação de floresta em terrenos de pasto;
- Extração ilegal de madeira: além do problema da ilegalidade da atividade, esta contribui significativamente para o aumento da concentração de gás carbônico na atmosfera, que pode causar o aumento do efeito estufa e consequentemente o aquecimento global;
- Ampliação de áreas para agricultura: semelhante a pecuária, a expansão das fronteiras agrícolas causa a derrubada de áreas de floresta. A solução é a otimização e eficiência dos cultivos existentes;
- Queimada: pode acontecer por causa naturais, por exemplo, pela queda de raios em locais de vegetação seca; ou por ação humana, criminosamente ou por técnica agrícola, a qual, no entanto, é perigosa e pode ser ineficiente ao prejudicar o solo;
- Mineração: a abertura de garimpos de pedras e metais economicamente vantajosos tem sido causa de desmatamento de áreas desde o período da colonização do nosso território. Atualmente, o garimpo ilegal exerce pressão sobre as áreas preservadas de floresta na Amazônia.

Entende-se que as atividades produtivas são essenciais para o desenvolvimento econômico de um país, no entanto, devem ser orientadas por uma legislação ambiental consistente e objetivos sociais claros para que assim gere resultados equilibrados com a visão de sustentabilidade, que é um tema cada vez mais presente nas discussões e acordos internacionais.

Portanto, evitar e controlar o desmatamento deve fazer parte da agenda de desenvolvimento sustentável do país para alcançar este equilíbrio entre interesses sociais, econômicos e ambientais.

Fotografia - Andre Penne

Comentários

Postagens mais visitadas