Desmatamento no Cerrado e novo monitoramento


Foram divulgados, na última quinta-feira (21/6), os dados preliminares do desmatamento no bioma Cerrado, referentes aos anos de 2016 e 2017. De acordo com o monitoramento realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a área desmatada nesse bioma corresponde a 6.777 km2 e 7.408 km2, respectivamente, e que representam redução de 43% e 38%, em relação ao ano de 2015. O resultado somado dos dois anos é comparável a 2,4 vezes a extensão do Distrito Federal em área desmatada.

Os dados foram divulgados pelos Ministérios do Meio Ambiente (MMA) e da Ciência Tecnologia, Informação e Comunicações (MCTIC). A partir do ano de 2018, o mapeamento do desmatamento no Cerrado passa a ser feito anualmente, nos moldes do que já ocorre para a Amazônia. A mensuração foi realizada pelo INPE no âmbito do projeto Prodes Cerrado, iniciativa apoiada pelo MMA e MCTIC e financiada pelo Programa de Investimento Mundial (FIP) administrado pelo Banco Mundial.


Outro resultado do projeto é o refinamento do mapeamento das áreas desmatadas de 2010 a 2015, que resultou na atualização da série histórica e gerou dados bienais para o período entre 2000 e 2012 e dados anuais para o período de 2013 a 2017, englobando todos os polígonos desmatados com área acima de 1 hectare. A Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC, Lei nº 12.187/2009) estabeleceu, para o Cerrado, uma meta de redução em 40% para o ano 2020, referente ao desmatamento médio observado no período de 1999 a 2008. Os dados registrados em 2017 apontam redução de 53% nessa mesma comparação, ficando 13% abaixo da meta estabelecida.

Comentários

Mais postagens