Biodiversidade


Celebrado hoje internacionalmente, o Dia da Biodiversidade é uma das datas que permitem uma reflexão sobre a relação entre o ser humano e a natureza. Durante todo o dia diversas manifestações aconteceram ao redor de mundo, vindas de entidades oficiais, empresas, organização da sociedade civil, movimentos e pessoas comuns. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Em 2018 também são lembrados os 25 anos do tratado internacional assinado por 196 países durante a Convenção sobre Diversidade Biológica na Rio-92, realizada no Rio de Janeiro, com o objetivo de incentivar um futuro sustentável para todos. Mas como está a relação com a biodiversidade?

Extinção
Todas essas celebrações vem numa época que muito se alerta para extinção de espécies. Algumas foram declaradas extintas nos últimos anos e centenas são classificadas em diferentes níveis de ameaça de desaparecer do planeta. Mesmo com todos os esforços a pegada ecológica vem aumentado em países em desenvolvimento, fruto da ascensão socioeconômica das pessoas e aumento no consumo. Em países de maior desenvolvimento esse ritmo na pegada vem diminuindo ou sendo substituídos por modos de vida mais sustentável. Contudo a urbanização crescente contribuiu para diminuir a ligação das pessoas com a natureza, o que se torna um grande desafio para engajamento em praticas mais sustentáveis.

Biomas tiveram perdas expressivas para realização de atividades humanas, sejam elas moradia, alimentação ou comércio. Estima-se que pelo menos 50% das áreas originais dos biomas Caatinga e Cerrado já foram perdidos. O restante se encontra em fragmentos, muitas vezes isolados, e a menor parte em unidades de conservação - UC. A criação de UC é muito importante, mas é necessário planejamento, planos de recuperação de áreas degradadas e o desenvolvimento de técnicas que possam permitir o uso mais eficiente de áreas já utilizadas para atividades humanas. Todas as ações necessitam de ciência e tecnologia, através de pesquisa e investimento na produção intelectual.


Futuro
A força da celebração a cada ano, a busca de práticas mais sustentáveis, o envolvimento dos setores da sociedade, o envolvimento das pessoas, a realização de pesquisas vão desenhar o futura da biodiversidade, considerando as particularidades de cada cidade, região, pais ou até mesmo continente. As oportunidades existem, podem transformar as relações com a natureza, considerando o histórico e as limitações dos processos ecológicos.

Comentários

Mais postagens