Diversidade de fungos no quintal do tamanduá

Nathália Araújo




Os fungos são eucarióticos, heterótrofos - se alimentam por absorção, podem ser uni ou pluricelulares, macro ou microscópicos e tem um Reino todo para chamar de seu. Com cerca de 1,5 milhões de espécies, são divididas em diferentes. Podem se reproduzir sozinhos ou com troca de material genético. Podem ser encontrados em todos os ambientes da Terra, são simbiontes, degradam matéria orgânica e são responsáveis pela ciclagem de nutrientes.  

Inúmeras são as características desse grupo de seres que as espécies podem, de acordo com Schünemann (2021), serem tóxicas, alucinógenas ou até comestíveis; outras espécies possuem propriedades nutritivas ou são patogênicas; outras são consideradas pragas nas lavouras e algumas são importantes ferramentas de controle biológico; e várias são apenas seres vivos sem qualquer valor utilitarista associado, apenas existindo. A estrutura básica de um fungo é constituída por micélio, hifas, com uma cobertura de parede de quitina (além de uma estrutura reprodutora).

As espécies de fungos já descritas estão divididas nos Filos: Chytridiomycota,  Zygomycota, Ascomycota, Basidiomycota e Deuteromycota.




Os Chytridiomycota possuem cerca de 700 espécies, podem ser uni ou multicelulares e que em algum momento de sua vida, vão apresentar flagelos. São próprios de ambientes aquáticos e solos úmidos, e apresentam característica gelatinosa. Os fungos desse Filo não apresentam parede de quitina. 

Já os Zygomycota, possuem aproximadamente 1000 espécies descritas, são decompositores de matéria orgânica e podem ser encontrados em diversos ambientes. Sabe aquele famoso bolor que cresce em frutas e pães? Isso mesmo, eles estão presentes nesse Filo.

Os Ascomycota englobam mais de 30 mil espécies. Esses, por sua vez, se reproduzem com troca de material genético e são conhecidos como ascos. São de diversos tipos, inclusive desde bolores com filamentos a leveduras que são unicelulares.

O Filo Basidiomycota agrega quase 22 mil espécies e também se reproduz com troca de material genético, esses são chamados de basídios. Lembra dos cogumelos, orelhas-de-pau e as ferrugens? Eles fazem parte desse grupo e costumam causar doenças na vegetação. 




Por último, e não menos importante, temos os Deuteromycota - os fungos imperfeitos com cerca de 17 mil espécies. São conhecidos por causar diversas doenças, mas também pela produção de queijos e da penicilina.

 LEIA MAIS  Gostou de saber mais sobre os fungos? Saiba também as principais curiosidades sobre o Cerrado e também do Tamanduá-bandeira.

Comentários